sábado, abril 19, 2008

DERROTA

quedas11

(foto de BlueShell)


Não sou eu quem vos fala, hoje!
Hoje… sou um pedaço de mim que sobrou
E que soçobrou ao Tempo…


Mas dentro do pouco que sou
Existe o que outrora fui:
Mulher amada, mulher que amou
Mulher inteira, que por amor
Viveu, riu, lutou… e pecou…


Hoje… quem escreve estes versos
Não sou eu…
É um resto de mulher que amou,
Que de si tudo deu...
E que por fim …tudo perdeu!

26 comentários:

Maria disse...

Quando se amou nunca se perdeu.....
A fotografia é belíssima, Blueshell

Beijo

morfeu disse...

Domingo matinal, quase como forasteiro fugidio, por aqui passei...não querendo deixar de "meditar" nestas terríveis coisas do amor...um abraço
morfeu

Xinha disse...

Estou com a Maria: quando se amou nunca se perdeu, no mínimo aprende-se a não cometer os mesmos erros...

que te consigas achar inteira no que resta de ti!

Lyra disse...

Amiga,
Nunca te esquepças que a vida é, também, uma guerra e que tu perdeste algumas "batalhas", mas não a guerra em si. Tu estás viva, e enquanto estiveres, todos os que perdeste nessas batalhas estarão sempre contigo, no teu coração, na tua alma.

Beijinhos e até breve.

;O)

Caio disse...

Dores de perdas que só podem ser sentidas por quem perdeu. Palavras como: "eu sei pelo que você está passando", por melhores que sejam as intensões de quem diz, não são verdadeiras. Dor não é algo mensurável.

Talvez, o melhor que possa dizer seja: apoie-se nas pessoas que estão perto e que te amam.

DelfimPeixoto disse...

Se tudo deste quem perdeu não fôste tu.... certamente.... quem se dá nunca perde, mesmo que o sinta! Quem se dá ganha porque fez algo superior: se anulou, por açlguém e isso é uma Vitória
jnhs doces.... hoje

contradicoes disse...

Minha cara amiga o quanto lamento o estado de espírito motivado pelo desfecho da relação amorosa. Mas é preciso coragem para saber enfrentar outros desafios da vida. E embora tenha andado ausente desta paragem onde já vinha sentido a algum tempo o desmoronar da relação sempre pensei que estas situações que são comuns na vida dum casal por vezes conseguem-se
ultrapassar. Não me parece que tenha sido o caso e por isso lamento. O meu desejo que este momento difícil seja rapidamente ultrapassado. Um beijinho do Raul

José Miguel Gomes disse...

A derrota é breve, as vitórias são para sempre... Tem calma, novos dias se avizinham.

Fica bem,
Miguel

Um Momento disse...

Arrepiei-me com tanto sentir...
Quem amou... jamais perdeu... ganhou!!

Um beijo abraçado a tão belos sentires... ao teu coração!

(*)

Piedade disse...

Olá, incógnita!
Sem querer ser por demais crítico, no entanto, tenho observado que as autoras portuguesas de blogs são perfeitas anònimas. Frilosas, elas usam imagens de outras pessoas no lugar das delas e pseudónimos em ingles, é claro. Ou então (e já é clássico), mostram um olho. Ou os lábios. E tudo isso embaixo de muitas camadas de Photoshop, naturalmente, para não serem reconhecidas. Ou então, para serem originais (como todo mundo faz) fotografam-se atrás de uma imensa cámera digital. Pronto, assim não se sabe se é mulher ou mesmo se é homem. Mas por que tanto temor de se mostrar um pouco de si, ò raparigas da pátria anciã ? afinal, mostrar um prenome apenas não incrimina ninguém neste mundo – por mais virtual que seja ele. É frustrante para quem lê um texto de uma destas "blogueiras" medrosas e anònimas. Fica-se a imaginar de qual idade será, ou mesmo se foi homem ou mulher que o escreveu. Porém, nada, tudo é sigilosamente guardado pois se o pai ou a mãe, ou mesmo o marido vir a saber....

Infelizmente as portuguesas são muito arredias, são temerosas demais. Morrem de medo de um dia virem a ser reconhecidas em um blog pelo que pensam e pelo que escrevem. A Idade Média parece até que foi ontem – ou que nela vive-se, em Portugal. Mesmo que tais anónimas escrevam suas sacrossantas tolices do cotidiano. E por que um tal temor, ó Deus de Fátima? julgam-se feias, seria isso? ora, não existe ninguém feio nem feia, tudo é muito relativo. Talvez que as moçoilas portuguesas não se aceitem como são. Tolice. Geralmente, no mundo civilizado quem faz um blog fala um pouco de si, do que faz, do lugar onde vive, não faz tanto mistério assim porque, na realidade, o ser humano nada tem de misterioso. Somos todos simples, de fato. Basta apenas ter o olhar certo e nos veremos sempre tais e quais nós realmente somos. É lamentável esse comportamento das mulheres portuguesas nos blogs. Eu meus amigos as chamamos de "as escondidas de Fátima". Tal comportamento, absolutamente anacrónico, dói-me cá no peito e faz-me pensar em épocas remotas e tristes, em claustros monacais, em decrépticas torres e aldebarãs, em tantos obscurantismos passados...

Saudações.

A.J.Faria disse...

Texto muito intenso, carregado de sentimentos.

Abraço

Lyra disse...

Olá, bom dia,

Passei por aqui só para desejar em excelente fim de semana e deixar um beijinho grande.

Até breve.

;O)

Pink disse...

Texto bem escrito e muito intenso. Está lindpo o que escrevestem apesar de toda a carga negativa que prepassa o poema. Entretanto, deixa que te diga que dentro desse "resto de mulher" ficaram inscritas todas essas experiências de vida que foram um ganho, uma riqueza interior que perdura para sempre.

Um beijo Pink :-)

O Profeta disse...

Tu ainda tens muito para dar...és imensa...


Doce beijo

Plum disse...

Não nos podemos sentir derrotados...há uma força dentro de cada um de nós que quando emerge nos faz sentir imensos!***

impulsos disse...

Não se podem baixar os braços assim...
Ainda há muito a fazer e a viver!

Quanto ao poema, é claro que está muito belo, mas a mensagem que transporta, é de tristeza e rendição perante o quadro da vida já meio vivida e com a notória percepção de que as batalhas já foram ganhas e de novo perdidas...

Gostei muito.

Beijo

peciscas disse...

Quem fala com esta emoção, quem usa as palavras desta forma tão intensa, não se pode sentir derrotada.

Luis F disse...

O Mar de Sonhos faz um ano de existência, venho assim agradecer toda a amizade.

O meu obrigado

Com amizade
Luis F

mixtu disse...

nem tudo se perde...
caminhar e depois fazer nova caminhada...
sempre...

abrazo serrano

O Micróbio II disse...

Não se perdeste tudo, mas nós tudo ganhamos em vir aqui...

Daniel Aladiah disse...

Querida Blue Shell
Primeiro, o amor não acabou em ti, mas está desiludido somente. Nada acaba assim, só a nossa imaginação.
Um beijo
Daniel

Peter disse...

É pena "conchinha", deitaste a toalha ao chão.

Eu continuo a lutar pela vida que se esvai ...

Blue_@ngel disse...

Continuas a ser tu, mesmo que não te sintas assim.
É no momento em que escreves parte de ti...
Força e um beijo.
Espero que esteja tudo bem.

Carmem L Vilanova disse...

Amiga,
Depois de quase 2 meses de ausencia por motivos de viagens, volto para deixar-te beijos, flores e milhares de sorrisos, além dos votos de um lindo Dia das Maes (que na realidade sao felizes porque sao todos os dias) para ti, uma mamae muito querida!

ZezinhoMota disse...

Amiga!

O que se viveu, nunca se perdeu!...

Pelo contrário!

Tudo se ganhou...

Bom fim de semana.

Que sejas feliz.

Bjnhs

ZezinhoMota

Juℓi Ribeiro disse...

Belíssimo!
A imagem parece falar.
E os teus versos nos levam
a sonhar...
Um abraço.