sábado, novembro 29, 2008

Rimas de impaciência...

poblog.

(foto de BlueShell)


Junto de um mágico jardim
Enfeitado de mil cores
Iluminado p’lo Sol
Vivem felizes Amores.

Iluminado p’lo Sol
Está o meu coração…
E quando meus olhos choram
Meu Amor me dá a mão.

Mas quando meus olhos choram
Por tanto tardares, Amor…
Não há jardim encantado
Que mitigue minha dor.

Porque tardas tu, Amor?
Porque tardas tu, meu bem?
Não sabes já que assim…
Fenece o Sol, e eu também?

10 comentários:

Anónimo disse...

Olá, Blue!

O verdadeiro amor nunca tarda, simplesmemente o desejo de estar com ele é que faz com que o tempo da ausência pareça uma eternidade.
O amor é assim!

Um Bj

Anónimo disse...

O comentário acima pertence a:

palavraentrepalavras.blogspot.com

A.J.Faria

Amaral disse...

Rimas com brilho, Blue!
Ainda que ninguém feneça assim... Ainda que não haja dor que sempre dure...
Ainda que, um dia, o Sol e tu e eu, havemos de ser UM...

Amaral disse...

Blueshell:
Ele dirá que não te conhece???...
Amiga, "conheço-te" há quatro anos e queres acreditar em mim.
Ele conhece-te desde sempre e... não acreditas Nele?...
Quando esse instante divino chegar, vais sorrir e pensar quão ingénua foste capaz de ser...
Onde foi que te afastaste, Blue? Onde, se todos os caminhos que percorreste foram abençoados e escolhidos por ti e por Ele?...
Pára de pensar e volta a sentir "o que és tu"!
Deus (ou lá o que queiras chamar) está a envolver o teu corpo, sem que tu O vejas.
E esse teu corpo apenas é veículo para esta vida terrena, milagre dos milagres, que te permite experimentar a Vida na sua magnificência...

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema cara amiga.
De um romantismo "à antiga", mas muito bem adaptado aos tempos actuais.
Há coisas que acabam e, por isso, é preciso saber ultrapassá-las (não sei se é o caso, pois o poema pode ser realidade ou ficção, e eu sei que és muito mentirosa...).
Beijinhos.

PS: como conselho suplementar, acrescento da minha lavra:
"Quando as nuvens,
indiferentes, passam por nós,
fortalecemos a alma
se formos sábios a sofrer,
se não deixarmos de ver
as flores como elas são
na sombra que sobre elas se abate.
Porque o contrário
distorce o ar das coisas
e o que os nossos olhos vêem
enfraquece-nos o espírito."

Lyra disse...

Para variar, amiga,, adorei o poema e a imagem também!!!


Um excelente fim-de-semana para ti.

Beijinhos e até breve.


;O)

Lyra

DE-PROPOSITO disse...

Versos que entendo bem, mas que tenho dificuldade em comentar.
Creio que os mesmos estão inseridos numa determinada época, num determinado momento.
Fica bem.
E a felicidade possível juntinho de ti.
Manuel

mfc disse...

Consegues sorrir na tristeza.

ZezinhoMota disse...

Bonita leitura este teu poema e depois com esta música de fundo...

Feliz feriado.

Bjnhs

ZezinhoMota

Ana Martins disse...

Lindo Poema de amor!!!

Beijinhos