terça-feira, maio 17, 2011

De fora.




fora

(foto de BlueShell)

Cheguei e fechei a porta atrás de mim como se de lá de fora nada, nem ninguém, me pudesse magoar. E desejei ficar, simplesmente ficar ali do lado de dentro da porta, agora fechada à chave. Era o meu refúgio, o meu poder escapar às investidas da Vida…e dos Homens.


Açoitada pela crueldade, pela ganância e inveja de alguns…deixara de crer em todos.

Lá fora tudo me é hostil.
Lá fora eu não compreendo, não sei mais do que aquilo que vejo ou ouço: sorrisos e palavras fáceis. São mantos que escondem arrogância, malícia e mentira. A essência não é mais que podridão. Todos se enganam e enganam-se uns aos outros: pactuam com a mentira, com a hipocrisia: e quando o incauto menos espera é quando sobre ele caem os que há pouco lhe faziam juras de amizade eterna.
Não…não compreendo…e fecho a porta atrás de mim.

De fora vêm apenas os ruídos longínquos de um ou outro carro que passa. Mas eu estou segura, agora. Porque me fecho dentro de mim. E a porta está fechada e eu estou do lado de dentro da porta.

7 comentários:

Je Vois la Vie en Vert disse...

Escreveste um belo texto mas, como sabes, totalmente contrário ao que penso da vida.
Tens razão, lá fora há muita crueldade, muito maldade e alguns destes sentimentos são mesmo inerentes às pessoas mas outros entraram pouco a pouco na personalidade por revolta, decepção ou por isolamento.
Não estás segura, fechando-te, minha querida !
Primeiro, tenta compreender as pessoas, se vires que não há nada a fazer, afasta-te simplesmente, sem mais nada, e procura outras. Ainda há muita gente boa, minha amiga, mas são muito mais discretas.
Todas nós erramos e não podemos voltar para trás para corrigir o que foi feito mas podemos avançar com a certeza que não vamos repetir esses erros se estamos arrependidos. É o que faz toda a diferença entre uma boa e uma má pessoa, querida Blueshell !
Sai da tua toca, oferece o teu corpo ao sol, à luz e verás as tuas baterias recarregadas para ver que ainda existe muita bondade na nossa terra !
Beijinhos
Verdinha

Luís Coelho disse...

Um texto bonito e bem tecido pois cativa o leitor neste fechar-se e fechar a porta ao exterior.

Será a solução mais simples, porem não será a mais correcta.
É preciso descobrir pessoas que nos amem e nos façam felizes. Nem tudo na vida é negativo. As coisas quando não correm bem dão-nos apenas uma lição.
Descobrir a vida em cada pessoa que se relaciona connosco será o modo mais correcto. Talvez nessa descoberta possamos seleccionar aqueles de quem mais gostamos e aqueles que melhor nos amam.

mfc disse...

Percebo-te... mas não te feches!
Antes sorri e continua a franquear-nos a tua porta.

O Árabe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O Árabe disse...

Entretanto, um dia precisaremos sair... pois é lá fora que o tempo corre e a vida escorre. :) Boa semana!

Ana disse...

Muitas vezes é dentro de nós que precisamos encontrar a segurança. Depois, podemos voltar a abrir a porta e deixar entrar o sol !
Beijinho, BlueShell *

. intemporal . disse...

.

.

. são tantas as vezes em que nesta porta me re.vejo . como espelho de dentro .

.

. um beijo meu . em refúgio .

.

.