sexta-feira, janeiro 18, 2013

Julguei que era meu dever ensinar…



prof
(Foto e texto de BlueShell)- PORTUGAL
À minha frente rostos inquiridores! Quase tudo meninas, só um rapaz.
Feitas as apresentações coloquei as regras, muito claras, para que não houvesse “surpresas desagradáveis”!
Quase todos os alunos viviam fora da cidade à exceção de uma menina.
Estatuto social…baixo….
Dificuldades…muitas, a todos os níveis.

Lembrei  a minha infância. O ter de ir a pé por meio de matas até à paragem da “carreira”…cedo, ainda escuro… E à noite, no regresso, o mesmo percurso. Depois o ter os deveres para fazer, o sono a vencer-me as forças…
E tinha sorte porque colegas meus ainda tinham de ajudar os pais a recolher os rebanhos, a ordenhar, a fazer a vianda para os porcos, em currais húmidos e fétidos.
Boa aluna, sempre. Aplicada, sabia que queria ser professora e sabia que tinha de me esforçar: meus pais faziam um imenso sacrifício para eu poder estudar. O mínimo que eu poderia fazer era ser boa aluna.

Toda a minha vida estudantil decorreu sem incidentes…quase sem incidentes…até ao dia em que fui fazer um exame de Inglês. Era  a nível nacional. Falava de desportos “radicais" à beira mar como o “surf” e outros…cujo nome desconhecia….
-“ Mas que raio sei eu disto??? Porventura sabem que vivo à beira da Serra? Vi o mar algumas vezes, sim…mas colegas meus nunca viram o mar!”
Fiz o exame e tive uma boa nota. Mas aquela imagem de que poderia ter feito melhor se o texto me “dissesse” algo…ficou cá, como um estigma!
(continua)

37 comentários:

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Pois... mas os textos da vida nem sempre vão de encontro ao que pretendemos para ela!

A foto apresenta um local tranquilo e bonito! Gostei neste meu regresso!
Bj

quem és, que fazes aqui? disse...


É, de facto, uma impotência que sentimos sempre que temos a realidade dos outros nas nossas mãos e lhes queremos dar tudo o que têm direito.

Lembro-me, aqui há anos, aí mesmo na escola, um garoto do 7º ano estar sonolento na aula. Por diversas vezes não conseguiu manter a cabeça direita e os olhos abertos. Deixei cair o livro na secretária... arrastei a cadeira... falei mais alto ... e ele entre o acordado e a vontade de dormir. A certa altura, dirigi-me diretamente a ele e pedi-lhe que nos contasse ( não vinha a propósito de nada) o que fizera desde que se levantara. O miudo olhou envergonhado para os outros e respondeu que se tinha levantado às 6 da manhã. Tão cedo? Pois, tinha ido levar o rebanho a pastar, voltara a casa, apanhara a "carreira" às 7:30 para a escola (que só começava às 8:30). Apenas perguntei à turma "Ouviram?"

Queres outra? O mar, ler um texto sobre o mar, falar do mar e ouvir dois garotos dizerem que nunca tinham visto o mar... só na televisão.

Sabes, se fossemos a escrever todas estas grandes vivências que nos traz a profissão, escreveríamos livros que nos dariam o Nobel da Literatura e não desemprego anunciado.

Bom fim de semana e um beijo.

Laura

Manuel disse...

Vou ficar à espera do que vem a seguir.
Mas, se pensarmos bem, entre o mar e o campo há algum paralelismo! O mar tem as ondas, a terra tem os campos ondulantes, o mar e a terra são imensos e tem os mesmos fascínios.
A nossa imaginação pode fazer o resto.
Fico curioso!

Observador disse...

Bom fim de semana, Blue.

Rui Pascoal disse...

Exames? Nessa idade tinha visto pouca neve mas era cá cada branca...
:)

Sandra disse...

a beautiful photograph and a place i would like to see.

isa disse...

Gostei de ler.
Há sempre qualquer de muito interessante,aqui.E saio feliz.
BFS.
Beijo.
isa.

JP disse...

Olá,
Pois, há muito caso assim. Há muita dificuldade em perceber a vida como ela é.

E somos nós que temos de nos adaptar, que temos de transpor os obstáculos que ela nos coloca. Como diz a Laura em cima, se fôssemos escrever um bocadinho das histórias que conhecemos....

Beijinho

edumanes disse...

Quando acontecer
Quem não sabe ensinar
Obrigado não ser
Mas um bom serviço prestar!

Ensinar quem não sabe
A qualquer hora do dia
Nunca é tarde
Para aprender o que não sabia!

Bom fim de semana para você,
amiga Blue Shell,
um abraço
Eduardo

Beth disse...

Have a wonderful weekend!

Graça Sampaio disse...

Como era difícil estudar nos "bons" velhos tempos de 50/60!

Estes miúdos mimalhos de agora não sabem de nada! nem lhes passa pela cabeça! (e ainda bem...)

Bom fim de semana.

Malu Silva disse...

As histórias que compõem nossas VIDAS sempre possuem um significado intenso e pertinente a nós... Aguardemos os novos fatos... Abraços

Francisco disse...

Quantas pessoas conheceram Paris, sem nunca terem visto o mar???!!!!

Beijinho muito grande

Adorei a música ;)

Gaja Maria disse...

Pois... velhos tempos. Comigo seria ao contrário, vivo pertinho do mar, mas se me dessem um texto sobre o interior, teria a mesma dificuldade. Hoje, na era da internet essas coisas já são mais dificeis de acontecer. Temos o mundo à distância de uma tecla. Bjinhos :D

Flor de Jasmim disse...

Eu nasci em 56 e tal como relata o teu texto, ia e vinha da escola a pé, após as aulas acabarem tinha sempre as tarefas das terras, também queria ser professora, até brincava às professoras os alunos eram imaginários, mas não tive hipótese a não ser ir trabalhar após a 4ª classe (assim se chamava).
os meus netinhos hoje para irem para as aulas fazem 5 km de ida e volta a pé, chova ou faça sol.
Tu Blue ainda chegaste a concretizar o teu sonho, ser professora, mas o que vai ser das nossas crianças, os nossos homens do futuro, a continuação da humanidade!
Bom fim de semana querida

beijinho e uma flor

lucia bezerra de paiva disse...

É, muitas vezes, alguns conteúdos "trabalhados" em sala de aula, estão longe da realidade do aluno. Lembro-me que quando via a palavra "túnel" não tinha a menor ideia de como era um. Morava em cidade plana, sem montanhas.Só fui conhecer um túnel, de verdade, quando fui morar em cidade montanhosa, o Rio de Janeiro.

O que é ensinado aos alunos, precisa ter significado.

Voltarei, para a continuação...
Um beijo!

Mona Lisa disse...

Prendeste-me ao teu belo e fluente texto.

Vou esperar ...

Beijinhos.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá; gostei da da fotografia e do texto...Espectacular....
Cumprimentos

Paulo Vasco Pereira disse...

Uma realidade!
Saliento uma palavra por ti utilizada e que atualmente tão esquecida parece: "esforço". Como costumo dizer aos meus meninos, estudar exige sacrifício, esforço,... Temos que encontrar a melhor forma de o tornar apetecível.
Se por um lado é bem verdade que as nossas escolas precisavam deste "regresso ao passado" a que se assiste, lamento que as aprendizagens continuem a ser vistas somente do ponto de vista quantitativo. E o esforço? E o desenvolvimento de capacidades?... E o ir mais além ou viajar pelo currículo oculto? "Trabalhamos" para exames e isso entristece-me.
Bjs

lino disse...

Como diria o Martelo há temas de exames que não lembram ao careca!
Beijinho

Alien David Sousa disse...

CONTINUAÇÃO JÁ!!!

Beijinhos

elvira carvalho disse...

FICO Á ESPERA...
DESCULPE A LETRA, MAS COMO ANDO MAL DOS OLHOS...
UM ABRAÇO E BOM FIM DE SEMANA

Kuma disse...

Essa foto faz-me lembrar quando em Setembro fui à Beira Alta para vivistar a campa do meu avô e como fiquei uns dias lá na terra, aproveitei para andar a fazer exporações e no meio das florestas, encontrei assim locais como este na foto! ^^

Beijinhos e bom fim de semana! :3

Ailime disse...

Olá Blue, o seu texto tocou-me bastante! Aprecio quando um professor entende as "limitações" de alguns alunos. A sua história fez-me lembrar uma outra e não foi há muito tempo, que se não fora a determinação do aluno, por sinal meu filho, teria chumbado num exame. Beijinhos e fico a aguardar a continuação. Bom domingo (embora a chuva teime em cair.) Ailime

Maria Rodrigues disse...

Blue eu nasci na cidade mas também de familias humildes, a minha mãe dava-me o dinheiro certo para o transporte de casa para a escola, mas como eu gostava muito de ler e não havia dinheiro para o que não fosse o estritamente necessario, ia a pé para a escola, quase 1 hora de caminho, mas a alegria de no regresso poder comprar um livrinho compensava a caminhada.
Boa semana
Beijinhos
Maria

Clik disse...

Linda foto!

As dificuldades sempre nos ajudam

a superar e aprender é a parte

mais gratificante da Vida.

Ótima semana Blue.

heretico disse...

... " e as crianças, Senhor/ porque lhe dais tanta dor...?"

beijo,

gostei muito

Lila Show disse...

Gostei demais do texto, sou professora também e já vivi situação parecida. Estou esperando o restante... Parabéns!

Dennis Evans disse...

This is an important story of your life, and it shows your passion for your work as a "calling". Also you have really travelled between different worlds, over the years. I am sure you must be a great teacher.

Severa Cabral(escritora) disse...

Estou aqui hoje por um motivo mais que especial.
Tenho que dizer que não foi fácil conseguir você para ser meu seguidor,
foi muita motivação impulsionando com postagens e visitas...que atingi 300 seguidores
Agradeço te convidando a visitar a florada do IPÊ junto comigo no FOLHAS DE OUTONO !
Deixo o meu abraço recheado de carinho !!!!!

ONG ALERTA disse...

Não devemos nos exigir demais....beijo Lisette.

Manu disse...

Uma foto linda e um texto que li emocionada, porque fala duma realidade que dói quando não se tem em conta as diferentes vivências de cada criança e se mede tudo pela mesma bitola.
Um pouco de ti que mostraste com uma sensibilidade comovente.

Beijos
Manu

Sotnas disse...

Olá Blue, desejo que tudo esteja bem contigo!

Com certeza a continuação deste texto que narra o início de trajetória de uma professora, de um ser que não mede esforços para transmitir todo o aprendizado e conhecimento ao futuro, certamente será de encantar, aguardemos então!

Enquanto isso eu agradeço pela amizade e visitas com gentis comentários e desejo que tenha em teu viver sempre a felicidade intensa e deveras, um grande abraço e, até mais!

rosa-branca disse...

Olá amiga, realmente desportos radicais num exame de inglês não passa pela cabeça de um careca... Fico à espera da continuação. A imagem é linda. Beijos com carinho

Lilá(s) disse...

Fazes-me lembrar aquela frase: "Lisboa é Portugal, o resto é paisagem..."
Fico ansiosa á espera do resto
Bjs

C Valente disse...

Prosa da vida , lindo
saudações amigas

Manuel Luis disse...

Parece que venceste a onda dos 30m!
Ainda bem que tens alunos para ensinar.
Naquele tempo tínhamos que caminhar sozinhos, somos os resistentes.