sexta-feira, setembro 23, 2011

Sinto demais…

teia

(Foto de BlueShell)


O Tempo faz e desfaz…
O Tempo leva e não traz!

E eu sinto que sinto demais…
Emaranhado de sentires pintados
em telas comidas pelos dias que ruíram
sob o peso do ser…
Sou teia frágil que prende a saudade
Com a força do muito querer!

59 comentários:

Fê-blue bird disse...

Como a compreendo, sentir em demasia dói!

beijinhos

carol disse...

Muito bonito. Assim como o poderoso tronco que o ilustra.

Obrigada pela visitinha.
Gostei das palavras e dos ... gatos.
Vou voltar.
Beijinhos

Isamar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vitorchuvashortstories disse...

Olá, Blueshell!

Lindamente pintado está este poema, de tons bem fortes,ainda que tristinhos ...

Bom fim de semana.Beijinhos.
Vitor

Isamar disse...

Um bonito texto, embora triste, onde sobressai a magia encantatória da poesia. Há quem diga que o tempo leva e o tempo traz mas eu concordo contigo. O tempo não traz, instala-se a saudade e a dor que dilacera a alma.

Beijinhos

Bem-hajas!

Mel de Carvalho disse...

Blue,

nunca, em circunstância alguma, o sentir (nos) é demasiado - tudo é, na medida do que somos. e só assim, no todo do sentir, nos aprofundamos gente.


Gostei de a ler, Blue, gostarei de voltar e gostei, de igual modo, de a encontrar nas minhas palavras.

Um abraço sincero e amigo
Mel

Olinda Melo disse...

Olá, Blue Shell

Este poema tem a força da própria imagem que o ilustra.

Tal como ela, apresenta a erosão do 'tempo que leva e não traz'.

Mas creio que fica sempre alguma coisa, algo de muito ténue mas belo que nos leva a levantar-nos sempre que é preciso.E dizer:estou aqui pronta para recomeçar...

Beijos e bom fim de semana.

Olinda

Maria disse...

O Tempo leva, é verdade, mas traz outras coisas...
E nunca se sente demais quando se tem a força do que se quer!

Beijo.

Rogério Pereira disse...

Não, não sente demais
O Mundo é que está sentido de menos
Não, não é teia frágil
quanto muito sua teia está... frágil
Seu poema a reforçou
e a saudade se soltou
Não soltou?
Soltou. Aposto.

Já fui árvore, sabia?

bbrian disse...

Ruina de uma árvore que representa nossos fossos de saudade,de tudo que nos é vital, de tanto sentir e contrapondo o galho vivo é de onde retiramos forças.
Beijos no coração!

Dulce disse...

Sentir faz parte de nossa alma... Sentidos aguçados sempre trazem uma vida mais intensa... E não fossem seus sentires em demasia, como teríamos versos tão inspirados?

Beijos e uma boa noite

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Reflectivas palavras...
Bom fim de semana!

Ana Martins disse...

Blueshell, boa noite!
O tempo leva e não traz, limita-se a deixar a saudade que se instala e corroí.

Muito bonito!

Beijinho,
Ana Martins

Luna Sanchez disse...

O tempo é bálsamo e também é sal para as feridas.

Ah, o tempo...!

Um beijo.

JUAN FUENTES disse...

La imaginación de mi amiga,siempre la tiene en ebullición,la poesia,la observación de sus alrededdores,la fotografia,siempre la estan acompañando.
Te deseo que ese don nunca te abandone
Saludos desde Jerez

elvira carvalho disse...

Um poema forte, tal como o tronco da árvore que o ilustra.
O tempo pode não trazer exactamente aquilo que levou mas sempre traz algo para substituição e às vezes algo tão belo ou mais do que o que levou. Somos nós que presas à saudade fechamos os olhos para tudo o resto. Repare na natureza. Quando o tempo leva a flor ele também trás os frutos.
Um abraço e bom fim de semana...

José disse...

Olá, Blue Shel!
Obrigada pela visita, e volte sempre,
nem sempre irá rir como desta vez.
Porque o meu sentir às vezes também dói, e quando isso acontece escrevo sobre coisas que me fazem doer, e por vezes são tristes.
Gostei das suas palavras, lá, e aqui.

beijinho, até breve,
José.

Jorge Pimenta disse...

sentir o tempo, que leva e nunca devolve, é talvez a única eternidade a que podemos aspirar.
beijinho, poeta-colaga-amiga! :)

Daniel Aladiah disse...

Querida Blue Shell
O que é demais no sentir? Podemos ser mais sensíveis, mas ser humano é isso mesmo, com todos os defeitos inerentes a essa sensibilidade que, se não existisse, nos faria ser um não ser.
Um beijo
Daniel

Luís Coelho disse...

Parece-me que todos somos teias frágeis que prendem a saudade.
O tempo trás juventude e vai marcando desencantos que se arrastam...

Árvores vivas sangrando marcas de tempo que pingam restos de seiva misturada no orvalho da manhã...

Gaja Maria disse...

Lindo poema! Mas carrega a tristeza e a saudade com ele e gostaria de sentir em si mais alegria, confiança e muita esperança. Força! :)

. intemporal . disse...

.

.

. a poesia em dois tempos . ou em contra.tempo .

.

. o sentir que por um lado é garra mas que por outro amarra . a fragilidade de um presente onde o passado não se esquece . e muito menos arrefece . tal é a força do Seu querer .

.

. um bom fim.de.semana .

.

. um beijo meu .

.

.

Pensador disse...

Mas existem muitos momentos em que o tempo pode ser nosso aliado. Não o podemos controlar, mas podemos, e devemos, aprender a usar com sabedoria.

Obrigado pela visita ao meu blog, já tenho o seu nos feeds, também.

Beijo!

gilo disse...

tens que publicar os poemas, assim o tempo não os leva , mas serão preservados.
aguardo a publicação, reserva já o primeiro para mim.
gilo

Amaral disse...

Amei o "tempo" que te faz sentir,
o sentimento que te faz "ser"
a tela feita de cor...
Que a teia que faz a vida,
só pode ser feita de amor!...

as-nunes disse...

Sente-se o peso destes versos ainda mais ao lado do peso da vida do belíssimo e ancestral tronco que ilustra este registo.

Beijinho, Blue Shell

De Leiria para Mangualde/Viseu

Paula disse...

Gostei muito do poema. Lindo!
:)

AC disse...

Eu acredito que o crer e o querer ajudam a perpetuar o tempo...
(Mais um belo poema)

Beijo :)

Fragmentos Culturais disse...

O tempo! E logo numa estação que nos traz melancolia pela própria luminosidade e cores terra!

O tempo corre inexorável, sim, mas será salutar para a alma apreender o que de bom nos vai sendo dado em cada tempo e fruir em paz com o nosso íntimo. A luta não é fácil, eu sei...

Foi um prazer ter a tua presença em 'fragmentos'!

O dia está lindo!

Um beijo

mfc disse...

O Tempo é sempre um malvado!

Baby disse...

Também gostei,demais!
O tempo, sempre o implacável tempo a deixar-nos para trás, presos nas teias que tecemos e onde nos prendemos inexoravelmente!
Beijos.

joão l.henrique disse...

O tempo que leva e traz nem sempre o que se pretende...

Runa disse...

O tempo leva tudo... só deixa a saudade.

Beijos

Runa

Cris . disse...

Tão triste a imagem. #fato.

beijo meu .

Kim disse...

Olá Blue
É bem verdade que o tempo faz e desfaz, mas também é verdade que não sabemos aproveitar o tempo que o tempo tem.
Às vezes - perdemo-nos no labirinto da vida por não sabermos ter tempo.
Beijinho para ti!

Joakim Antonio disse...

O poeta é um ser feito de puro sentimento, a tristeza é profunda mas quando a alegria vem também é.

Uma ótima semana e um alinda vida!

✿ chica disse...

Muito lindo teu poema e os sentimentos se avolumam dentro de nós...beijos,linda semana,chica

Bergilde disse...

Chegando aqui através do blog da Chica e começando a seguir também seus registros.Admiro quem consegue transcrever sentimentos através da escrita.
Abraços,

São disse...

O tempo é imutável e , no entanto, sentimo-lo segundo o nosso estado psicológico...

Boa semana, amiga

aprendereorganizar disse...

Excelente pensamento:)
Beijinhos

C Valente disse...

O Tempo faz e desfaz…
Tanta verdade
Saudações amigas

M. disse...

Escreves muito bem. Entre o frágil e a vontade...Ficas bem:)

heretico disse...

o tempo é voraz. e um grande escultor...

beijos

Andradarte disse...

Que amor e Saudade aí vai.....pela
Natureza....Também adoro..... e o melhor que fiz, foi há pouco tempo vir morar para onde ouço o mar....na minha cama..
Beijo

Lilá(s) disse...

A imagem ilustra muito bem o poema! perfeito.
Bjs

ps: Sim, sou professora de EV

Andre Martin disse...

Belos dizeres!
De forte impacto e aderência.

O tempo, por vezes, é tempestuoso e intempestivo, temperamental.

Às vezes, até o tempo precisa de um tempo!

Everson Russo disse...

O mesmo tempo que tem o dom de curar, também tem o poder de envelhecer...beijos de bom dia pra ti querida.

Albertina Granja disse...

A experiência diz-nos que o tempo leva muito mais do que traz....
Sobretudo leva o melhor que há em nós....!!!!!....., a própria vida...., e em contrapartida o que traz, é uma imensa saudade de tudo quanto nos levou...
Tenha um bom dia e parabéns pelos lindos poemas que aqui nos deixa.
AG

Daniel disse...

Coucou à toi, merci de ta gentille visite..
A + :))

JUAN FUENTES disse...

A mi amiga la filósofa,que ha sabido interpretar muy bién la idiosingracia del género femenino.
Le doy las gracias por su pequeña editorial
Un fuerte abrazo

José disse...

Por aquilo que estou vendo
o tempo corre apressado
eu ainda vou correndo
mas não o dou apanhado

beijinho,
José.

Duarte disse...

Lindos os teus versos, querida amiga...

Se assistimos a esse faz e desfaz,
Percebemos o que o tempo nos tras.
E, resolutos, enfrentar-nos-emos.
Amando ao que mais queremos.

Abraços de vida

Mikhael disse...

És uma romântica (tal como eu, confessamente).








Gostei.
Obrigado pela visita.
Como chegaste ao "misantrofia"?

Rick disse...

The ravages of time take down even the strong !

Lovely poem to go with your powerful photo.

Aleatoriamente disse...

Amei teu poema.
Gostei muito da profundidade e doçura dele.

Beijinho amada

Janine Bettencourt disse...

Esta imagem tem uma força... enfim!
As suas palavras comoveram-me, especialmente porque nestes últimos tempos tenho dado por mim a perder momentos importante, coisas que nunca mais voltam e não lhes estou a dar a devida atenção.

Beijinho

JUAN FUENTES disse...

Estimada amiga.Creo compreder tus angustia y dolor,hace algunos años
mi hija murio por causas similares,mi desesperación fué tan grande que no lo podia asimilar.

Pasaron los años y la tranquilidad
volvió a mi espiritu,hoy quizas me he vuelto un poco filósofo y bastante materialsta,pero sobre todo agnóstico.
Un fuerte abrazo

JUAN FUENTES disse...

Estimada amiga.Creo compreder tus angustia y dolor,hace algunos años
mi hija murio por causas similares,mi desesperación fué tan grande que no lo podia asimilar.

Pasaron los años y la tranquilidad
volvió a mi espiritu,hoy quizas me he vuelto un poco filósofo y bastante materialsta,pero sobre todo agnóstico.
Un fuerte abrazo

JUAN FUENTES disse...

Tus mismos problemas le he tenido a menudo,he cambiado de servidor
MORZILLA,y en la actualidad me va mucho mejor.
Me congratula te sigan gustando mis fotos.
Un fuerte abrazo

jfrojerez@yahoo.es