quinta-feira, abril 27, 2006

...Tão perto do fim...

noite555

(foto de BlueShell)

...e depois...vêm dias em que a Morte parece ser a única solução para a VIDA!

24 comentários:

lince disse...

Obrigado pela visita. Há dias assim! Por vezes é necessário deixar morrer os dias menos bons, com a esperança de que um novo dia nascerá trazendo um novo tom à vida. Um tom de azul... quem sabe? Boa noite.

gone disse...

A morte nunca é solução para nada... Temos de aprender a encarar a vida de forma diferente, talvez...
Um beijinho *

António Caeiro disse...

boas noites e obrigado pela visita.
... a Morte é simplesmente uma certeza desta nossa vida.

Bugs disse...

Um dia já pensei assim, mas garanto-te que a morte nem de perto é a soluçao, apesar de muitas vezes ser a mais simples.

Desculpa a ausência, digamos que estive de férias e prolongaram-se mais um pouco.
Mas já cá estou. Li tudo e ja me pus a par do que tens feito.

Bjs e boa semana

Dae-su Oh disse...

Mas que pensamentos negativos são esses??? Se não tens vontade de rir, ao menos sorri, todas as tempestades terminam.

papagaio disse...

é um ciclo vicioso ha sempre algo que morre para dar vida....é o reviver,é a continuaçao....
ósculos grandes

TMara disse...

Amiga, ontem não voltei aqui, não sei qnd comentaste....Mas NÃO, a morte não é solução para nada, muito menos para a vida. E o teu beijo guardo-o, mas até k me dês um em carne , e sangue e vida, bem no meu rosto e eu te devolva outro com muito carinho.

Jorge Moreira disse...

Querida Amiga,
Tenho estado fora da Blogosfera por questões de trabalho, mas recebi um e-mail peturbador de uma outra Amiga comum e não poderia deixar de passar por aqui e dizer-te que a morte nunca é solução para os nossos problemas.
Pessoalmente, já enfrentei várias vezes o "inferno", mas sei que a solução extrema nunca resolveria nada. Pelo contrário... só iria complicar ainda mais, futuras vidas!
A experiência posterior, deu-me razão.
Se quiseres paratilhar a tua dor pessoalmente, diz.
Mando-te um Abraço do tamanho do Mundo e arredores... Aproveita a Luz do Sol. Vais ver que as coisas vão melhorar

Mitsou disse...

Também ando arredada dos blogues e recebi o mail da nossa amiga.

Não vou repetir os conselhos que todos nos dão quando andamos deprimidos pois já passei por isso e sei como é.
Peço-te apenas que te lembres de outros dias escuros em que as nuvens acabaram por dissipar-se.

Um beijinho muito doce, linda, e estamos aqui para nos ajudarmos uns aos outros. Como tu ajudas e nunca te esqueças disso!

Alexandre Sousa disse...

Querida Amiga
Fiquei algns segundos olhando este pequeno quadrado, sem saber o que escrever. Não pela dificuldade da escrita, mas pela dificuldade da leitura. É isso. Poderia derramar palavras e mais palavras, de coragem, de ânimo, de sorrisos, de amor, de braços abertos, de um ombro amigo, de um lenço estendido, oferecer desejos, que nada é mais importante do que nós próprios e tudo, tudo o mais são puras quimeras. A questão é que eu não sei como tudo isto iria ser lido, interpretado, sentido. Assim prefiro nada dizer, informando apenas que aqui está um Amigo.

Carla disse...

sem duvida!!

Blue C. disse...

Blue, esta semana reli um livro fantástico chamado "Sinais" de JOEL ROTHSCHILD (http://www.joelrothschild.com/). O Joel tem SIDA desde 1986. Os médicos não lhe davam mais que uns meses de vida. O Joel ainda vive nos dias de hoje. Passou por situações físicas e emocionais de grande debilidade. Situações em que todos (até ele) pensavam que não veria o dia seguinte nascer.
Em 1 de Julho de 1994, o seu namorado, melhor Amigo e companheiro Al suicidou-se. Nessa altura, a saúde de Joel estava muito mal. E ele ficou muito pior. Sentiu-se traído. Nessa altura começou a receber sinais. Al continuava a amá-lo e por isso cumpriu a sua promessa de o contactar, de não o deixar só.
Uma das coisas mais lindas que li neste livro foi a ideia de que Joel, nos seus piores dias, ia buscar força aos seus melhores dias, porque sabia que o mal que sentia ia passar. Podia ser um dia de sol, o som do mar, o riso de uma pessoa especial.
Ele diz que mesmo perto da morte foram os sinais e a mensagem de Al que o fortaleceram. A mensagem de Al foi que tudo o que nos acontece na vida faz parte de um plano maior que nós não conseguimos, agora, alcançar. E que os motivos que o fizeram acabar com a sua própria vida faziam parte desse plano maior. Ao acabar com a sua vida, dificultou o plano maior e a sua própria evolução. Disse também que tudo o que vivemos faz sentido.
O Joel, depois de 20 anos como doente, é grato pela doença e por tudo o que lhe é dado, pq sabe que faz parte desse plano maior.
lê o livro. É lindo e encerra lições de Amor lindissimas.

Esta semana, também, recebi uma mensagem muito bonita dos nossos Amigos invisiveis. Partilho-a aqui contigo porque me dizem para o fazer. Especialmente para ti: "Não estamos sós no Amor que nos une".

Um beijinho doce

isabel disse...

Nunca será uma solução, nunca será um limite,é algo pra que todo o ser caminha, o caminho pode ser sinuoso mas enriquece, tempestade. Blue, um sorriso nos lábios e receberá em triplo todo o que dá de sí. Grande fim de semana.

Mendes Ferreira disse...

oh Blue....por favor....deixa esse Mar....volta. Aqui. estamos ao teu lado.. não vês? não sentes? não ouves???? tu és a vida. a tua. So tu IMPORTAS. és tu que dás sentido à existência....please...ouve....senta-te aqui. toma não a minha mão mas as minhas palavras: está sol... amanhã é sempre o OUTRO DIA!

diz-me que sim! diz-me que me ouviste!!!!!!!!!!!!!!

fico à espera. E quero-te.

isa.

Musician disse...

Pois é minha querida, é mesmo assim...quem nao tem dias assim? Faz parte da vida e nesses dias a gente tem é que estar com amigos ou fazer coisas que a gente goste!
E eles passam...

Beijinho doce*

H. disse...

Querida Blue Shell, já cá não vinha há uns tempos e alarma-me saber-te a pensar na morte como uma solução. Ela é uma inevitabilidade estranha que não devemos procurar... Vê a maravilha do mundo - tu certamente que a vês porque eu vejo-a nas tuas fotos e nas tuas palavras inspiradas - e pensa que há dias maus, mas haverá dias tão tão bons que nem os podemos imaginar... Vale a pena continuar por eles, por nós. Para um dia dizermos que foi unforgettable...

Beijinho de apoio!
H. (lost in space)

Hindy disse...

Que desânimo é esse?
Toca a arrebitar que a morte é o mais certo que temos na vida, para quê pensar nela com antecipação ou como resolução seja do que for?
Bom fim-de-semana e beijocas da vida e da alma :)

pisconight disse...

Tens fotos lindíssimas!!
Não percebo porque se terminam os blogs... nem que não seja para aceder todos os dias, de vez em quando também sabe bem!!
;)

TMara disse...

e hoje o mundo ficou muito mais rico,a luz ofuscou as trevas ebrilhou forte e intensa, a blogosfera mostrou k há gente linda e luminosa, k está presente, k comparece, k apoia e se pode mover para servir. E k muitos de nós somos mais generosos do k em abstracto se pensa. E tu, TU sempre estiveste na 1ª fila da generosidade.
beijo-te amiga-irmã.

El Doc disse...

Morte não é a única solução a vida, mas sua contraparte natural, seu fim natural e também seu começo. Cada morte deixa um buraco que será enchido de outra vida, em de uma maneira ou de outra, como cada planta que morre a terra enriquece com suo corpo decaindo, enquanto deixando energia pela próxima geração vir. O círculo budista eterno. A história sem fim de vida.

Muitos beijos e tem um bom fim de semana!

~ El Doc

Šonђo Ažu£ disse...

Sabes que eu propria por vezes vivo com uma angustia que me sufoca...
Mas tambem tenho outros dias em que basta o sol brilhar para encarar a vida com um sorriso.

Um beijo

A Cor do Mar disse...

Triste, mas muito verdadeiro. Beijinho*

blackdragon298 disse...

parece!!! mas nem tudo é o k parece! a morte nao é a solução, mas sim uma fuga prelongada para os nossos problemas! ás vezes a verdadeira solução é encarar as dificuldades e ser o suficiente lúcido e sereno para acreditarmos em nós mesmos!!! como diria alguém ke conheço" calma e estupidez natural,também ajuda!!!

Besnico di Roma disse...

Mau pensamento.
Não tens, não temos esse direito.
Construir a nossa felicidade à custa da infelicidade alheia…
Não fora isso, dava-te a mão e… saltava contigo.