domingo, outubro 17, 2004

Poema sem cor!


henriques


Julgava saber a cor do céu,
O odor do mar...
Julgava ter guardado p'ra mim
"Aquele lugar"...
Julgava ser tudo p'ra alguém...
E poder levar comigo tua dor,
Dar-te, não indiferença, mas amor...

Afinal...
Não sei do céu a cor
Nem do mar o odor...
Não há, p'ra mim, "aquele lugar"...
P'ra lá não vai o pecador!

Mas posso, sim, mitigar tua dor
Ao dar-te minha vida e meu amor!

27 comentários:

Anónimo disse...

Que proposta mais estranha... Mandar-me ir refazer alguma eventual baixa de estima para um restaurante caro para me sentir rei e senhor - não existe nada de mais artificial? Sentir-me-ia rei e senhor se te pudesse calar a boca com um beijo e fazer-te ouvir todo o silêncio que desconheces dentro de ti.

Abraço

Luís F. Simões "O Parolo" ;)

c.b. disse...

De volta à poesia :)

Beijo de cor

manuel disse...

gostei sim, desse círculo de palavras poeticas por onde circulam amor e dor...

belo poema!

beijos

DonBadalo

almaro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
almaro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
almaro disse...

Mas há sempre "aquele lugar", no espaço e no tempo, em que sentimos tudo a convergir para ele, seja o sentir, a cor, a dor ou o amor. É o espaço do olhar, da convergência, é o centro da nossa alma, que flúi livre, num voar que só ela sente. É o nosso lugar…

almaro disse...

desculpa os comentários apagados, estavam com erros

SadAngel disse...

E sendo tudo o que tem para dar, já se torna mais que suficiente. Quantas vezes ansiei e agora fui correspondido nos meus anseios.
Bejos,

mylostwords disse...

a poesia de rima.
eu escrevi algumas coisas assim.
mas depois parece que me soava a algo monótono, enta-se que não queira dizer que a tua o é, a minha poesia era assim era oca.
depois optei por estilo mais solto.

vou ler-te com atenção. aponto que gostei do que li até agora. é algo no limiar do convencional a fugir para o "alternativo".

obrigada por teres ido ao meu espaço.

*

Anónimo disse...

Lindo poema de amor e bela imagem:) bjs* wind

mfc disse...

Amor e dor são indissociáveis!

Paulo disse...

Lindo poema...excelente foto. Boa semana:)

Abrigo disse...

Oi Blue Shell...bom ver te de volta!!! :)
Mto Bom mesmo..já tínhamos saudadinahs Suas!!!!
Adoramos este poema, belo demais, sem cor, mas no entanto dedicado ao amor, e sempre saboroso!!
Abraços Nossos

P.S.Uma Sra com uma capacidade tão grande de escrita, TEM de participar na nossa iniciativa da semana OUVIU???
;))

BlueShell disse...

Abrigo...eu esqueço que é à 2ª feira....hehehe

alexandrantunes disse...

Vi no teu poema a cor do céu e a cor do mar... vi o refúgio de dois seres que se amam... um que vive nas nuvens, o outro que se esconde nas ondas do mar e que se reencontram em cada cíclo da água. Gostei muito, muito. Beijos :*

azurara disse...

A poesia não é, de todo, o meu forte.
Talvez por isso não tenha visto o "sem cor", a palidez do vosso poema.
Mas dizei-me, senhora: pecaste?
Cuidai que alguém vos pode denunciar à vossa "polícia" e, aí, podeis ir parar "àquele lugar".

cantadeira disse...

sIMPLESMENTE GENIAL! A minha maiga tem um talento especial para exprimir o inexprimivel. Detive-me por aqui um pouco e dorei o que vi. Obrigada pela partilha.
Valeria Mendez, do blog 'fadista-valeria-mendez.weblog.com.pt'

Gil disse...

Olá Minina...tenho-te visitado várias vezes, só não deixo é comentarios todos os dias....estou a adorar os teus poemas, continua.

Beijinhos ;)

Emilio de Sousa disse...

Ao dizeres que sentes a minha falta e que eu não tenho aparecido é porque não lês os comentários que recebes.
Para mim és de leitura diária, ouviste? Só que às vezes não tenho nada para dizer...e para dizer asneiras mais vale estar calado. Beijinhos.
Não te sintas abandonada.

Rita disse...

Ola Concha Azul!!
Gostei BastantÍSSIMO deste poema, é muito bonito e leve..deve ser por nao ter cor!! ;PP
Abraços

LetrasAoAcaso disse...

Dás tudo, BS, qd entregas o teu amor.
Beijitos amiga e vizinha..

Gil disse...

Blue Linda, tou a promover um passsatempo semanal no meu blog,que aposto que te vai divertir... é literário :)

é só seguir o link e vais lá ter, depois é so participar espero que participes e te divirtas também. Continua o Bom Trabalho, Um Abraço

Luis Duverge disse...

Eu pecador confesso que gostei do poema
Out of Blue Shell
Just keep going...

Vou passando ...

Nilson Barcelli disse...

Sem cor?
Achei que é bastante impressivo, por isso...
Gostei mesmo.
Abraço.

azurara disse...

Senhora,
Acaso a minha prosa denuncia o vício infame do tabaco?
Dizei-me de súbito, que me impaciento.

Alda Graciete disse...

Gostei de um poema seu e tomei a liberdade de postar no meu blog, com a autoria e o endereço da sua página. Espero que não se importe.
Gosto de divulgar o que encontro.
http://aldagrac.spaces.live.com/

Chemical Bride disse...

Gostei muito do seu poema. Gostava de saber escrever assim =)