sexta-feira, outubro 01, 2004

Respiro o teu corpo

Respiro o teu corpo:
sabe a lua-de-água
ao amanhecer,
sabe a cal molhada,
sabe a luz mordida,
sabe a brisa nua,
ao sangue dos rios,
sabe a rosa louca,
ao cair da noite
sabe a pedra amarga,
sabe à minha boca.

Eugénio de Andrade

7 comentários:

Rita disse...

Ola Concha Azul ;PP
Sabes k eu tmb respiro o corpo e sei todos os sabores de uma pessoa k EU cá sei!!! Eh,eh...mas não vou dizer kem éeeee!!!!
Abraços Concha Azul....e Bom Fim de Semana ;)

AmigaTeatro disse...

Eugénio de Andrade, brilhante, sempre. Boa escolha, blue.
Tudo sabe àquilo que queremos que saiba... ou, talvez não.

Enfim,
Tem um bom fim-de-semana ;)*

Maria Branco disse...

É magnifico este poema do Eugénio de Andrade. Respirar, amar, viver o outro a cada momento, senti-lo em nós... É exactamente assim quando se ama, não é? Beijinhos tem um fim de semana feliz! ( espero que estejas melhor)

Anónimo disse...

Que escrever sobre Eugénio de Andrade? Belo, magnífico! :) wind

almaro disse...

respiro o teu olhar,
que pinto,
menina,
mulher,
com as cores dos teus olhos
a brilhar...

Estrela do mar disse...

Belo poema este de Eugénio de Andrade...mas oh cochinha...estou aos "pulinhos" para saber a continuação da história...
Continuação de um bom fds.
Um beijinho*.

chemistry disse...

sabe-me a ti. lindo.