sábado, março 05, 2005

Porque todos os dias são dias de pensar em ti, pai!

botao

(foto de Carla Maio)

Ainda te vejo sentado na sala, ainda te sonho entre nós...
Mas teu lugar está vazio. Revejo, entre lágrimas, aquela cama de hospital. Tu sabias...e o teu olhar implorava a ajuda que eu não te podia dar!...só pude estar, permanecer ...ali...junto a ti, Pai!

11 comentários:

Ana disse...

Minha querida lamento tanto a tua dor mas sou totalmente incapaz de dizer o que seja que possa aliviar-te, acho que ninguem o é.
Um beijo e muita força*

polittikus disse...

Assim é que se vê o sentimento no ar. Pai é sempre Pai...

Amaral disse...

Todas essas palavras já as escrevi eu, num dia afastado desta vida. Aquela cama do hospital está ainda muito clara no meu pensamento, e as palavras do médico, perante a minha insistência, soam baixinho: "Não lhe digam nada! Ele agora só quer partir serenamente!..."
Hoje, são apenas recordações maravilhosas! Porque, como tu também, sabemos que estão em paz, a um nível de consciência mais alto e mais encantador.

Daniel Aladiah disse...

Querida Blue Shell
...
Um beijo
Daniel

Cris disse...

É uma dor q nunca serena... parte de nós parte com eles...

Há seis anos q conheço essa dor, mas sei que onde quer q estejam, querem sentir um sorriso nos nossos lábios. Força!

Um beijo grande

Madalena disse...

Pouco depois partiu o meu pai também e esta frase tocou-me porque a sinto.
Um beijinho, Blueshell.

eduardo disse...

Quando sonhei com o meu na altura de se ir embora também revi um lugar vazio. Mas só o lugar que ele costumava utilizar.
Mudei a sala e arrumei uma cadeira. A dele.
Depois disse: - Pai, de agora em diante sentas-te aqui ao pé de mim para poderes ouvir todos quantos te perderam. É a maneira de os trazeres ao pé de nós, disse eu, os saudosos do Pai que todos temos e amamos.
Anos que passaram, ainda o tenho.
Naquela cadeira. Na mesma sala onde ainda sonhamos... como tu.

BlueShell disse...

A vós...que como eu sofreis ou sofrestes esta dor...e me ofertais palavras de conforto...o meu sincero MUITO OBRIGADA!

Não tenho mais palavras para vos agradecer o estardes presentes.

Madalena e Eduardo...não consigo encontrar-vos. O vosso "profile is not available"...Um beijo terno, BShell

Flávio disse...

Quando se fala de pais, recordo-me sempre de... uma caixa de aspirinas. Explico-me. Tudo aconteceu há já um bom punhado de anos, mas a recordação continua bem fresca. Era um Inverno com imensa chuva e a constipação não me largava - enfim, nada de comparável à brutalidade dos virus de hoje, era apenas uma daquelas constipaçõezinhas inconsequentes e passageiras. Cagarolas como sou, queixava-me a alguém de uma ridícula dor de cabeça e o meu pai, atrás da porta, ouve inadvertidamente o queixume. Sem que ninguém lhe pedisse nada, o senhor não perde tempo e enfia-se na tempestade que caía a rodos lá fora, em direcção à farmácia. Meia hora depois, lá está ele de volta com a caixa de aspirinas. Se isto não é Amor paternal, eu não sei o que será.

jerusa disse...

doi, qd se perde quem se ama!

doi, doer tanto assim...
doi perder um pai, mesmo que não estando sempre presente na nossa vida,
doi..
doi em demasia ter de aceitr carregar este fardo, uma noite, uma manhã, uma tarde...sempre...
sempre porque apartir daquele dia, ele nunca mais voltou..
nunca mais voltou para casa, para o seu doce lar, para se sentr naquele banquinho de que tanto gostava...
doi, perder assim, de um modo tão obscuro e ridiculo o amor que tinhamos começado a aprender a aumentr, a demonstrar...
sim, doi perder um pai!

esta dor...é aquela que dura, dura...e parece nunca mais acabar...sei o que é perder quem amamos, o que é acordar e ver o vazio, o lugar dele quieto sem moviemnto...para onde foram todas as palavras de conforto? qd foi que ele partiu? ainda hoje peço explicações e todos me viram as costas... eu perdi um avo, não o meu pai, mas aquele avo era um Pai, o meu pai, o pai da minha mãe...

sei que se ficar sentada a procurar suportar esta dor, não vou csguir progredir, nem fazer aquilo que tanto gosto, ajudar alguém..
por isso... ao segurar na mão de Deus...
eu corro!
eu corro todos os dias e grito...
a minha vida pode estar um caus, pode estar a maré a fugir da areia e eu a correr para longe...mas eu não desisto..
porque creio que existem explicações e um motivo...
um dia Deus vai mostrar me porque o levou...
vai lavar-me... vai lavar esta dor..que a cada dia se torna mais doce a a ajuda Dele...

porque deixo aqui este comentario? porque senti a tua dor..a dor de perda de alguem de quem se ama tanto..podes ate nemler o que escrevi...mas ao menos fica aqui o meu perfume...

nada é melhor do que adoçar a dor...o teu pai pode n estar mais cá, mas basta fechares os olhos que eles bem contgo..no teu pensamento...não deixes que ele se desiluda...vive como se eele estivesse ctg, porque ele está...e tu ama-lo...

um abraço bem forte no teu coração..*

jerusa
(judie_16@hotmail.com)

Neusa disse...

Tuas palavras ,são aquelas de meu coração. Também perdi meu pai.
Neste momento não posso lhe dizer nada pois estou apenas a sentir e não sou capaz de expressar com palavras meus sentimentos.