segunda-feira, julho 26, 2004

Mas...

...do tal documento...nada!
"Só me faltava agora a estúpida da campaínha" - disse para consigo já com a visão toldada pela raiva-mistura-de-desespero-a transformar-se-em-pânico...
Abriu a porta olhando ainda os sofás e só quando a sua voz bateu de frente nos seus tímpanos compreendeu que ela estava ali por ele. Um arrepio percorreu-o todo e as palavras teimavam em andar aos saltos no seu cérebro cuja actividade eléctrica estava, agora, ao máximo. Sentiu-se mudar de cor e o vermelho invadir, sem pejo, as pálidas faces de quem já não dormia há alguns dias.

6 comentários:

Anónimo disse...

Gostei. Aliás gosto deste teu estilo de escrita.

cumprimentos
Cachucho
http://enresinados.weblog.com.pt

El loco disse...

Acho que é mesmo dissso que preciso...dormir, já não durmo de noite há uns dias valentes de tarde!

MWoman disse...

Podias-me emprestar um pouco desse vermelho para compor a dança das cores lá no meu devaneio! O que se segue? ou vais-me deixar sem saber?Agora quem vai dormir sou eu, não fique eu também pálida e sem cor!Beijo

João Miguel Pereira disse...

Soa-me a deja-vu, apesar de não ter vivido a situação. Frequentemente me sinto assim, sem reacção perante ela. Vejo-me ali, parado, sem me mover, à espera de algo que não sei bem o que é, mas que sei que necessito..

um beijo

Alexandre Narciso disse...

Gostei do devaneio amiga.
beijinhos
*A

Anónimo disse...

Consegui viajar nas tuas palavras que de forma singela se adaptam às vivências próprias de cada um... saludos do SadAngel's
http://sadangel.weblog.com.pt