segunda-feira, maio 02, 2005

Não havia lugar para mim no teu mundo...

pequenez
(foto de BlueShell)

Vesti-me das páginas desse livro
Que ousei abrir. Encontrei
Poemas escritos com a
Linha da vida...que era a tua
Não a minha...
Nelas não havia lugar
Para mim...para me dar,
Para te ser algo...enfim!

Despi-me dessas páginas
Uma a uma...
E em minha nudez
Percebi, então,
Minha pequenez:
O Nada que sou,
O pouco que fui
E que o Tempo apagou!

Das páginas desse livro
Que ousei abrir...
E julguei possuir
Não resta senão a memória
Da efémera ilusão
De um amor sem história...
Nem Glória!

denoite
(foto de BlueShell)

43 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Linda BShell...
Espero que este lindo e triste poema seja tao somente ficçao, que nada tenha que ver com a tua realidade presente...
Tao lindo, e no entanto, tao triste, tao nostálgico...
Muitos beijinhos, minha querida!

margarida_rr disse...

Blue...tão lindo, e tão triste, de facto. Mas tal como eu fiz, não percas a esperança, nem a confiança! Disseste-me que tens duvidas, é natural, todos as temos.Disseste-me tb que ficaste decepcionada, tb é normal, faz parte da vida! Mas nem sempre é assim, e acredito, que contigo, tb nem sempre assim foi, não é? Então...um dia voltará tudo a florir! E quem sabe, com esse mesmo amor? O tal que não te escreveu no livro? (Se calhar escreveu, mas escondeu essas páginas de ti, por algum motivo).
Beijinhos, e acredita...principalmente em ti!

wind disse...

Belo poema. Triste, mas muito bonito:) Passado é passado. beijos

TMara disse...

Vermo-nos, deixarmo-nos ver e ser, pelos olhos dos outros é lixado. melhor nunca o fazer.Bjs e ;) os teus olhos vêem melhor!

Vênus disse...

Olá BShell,
Tbm espero que este poema seja apenas um momento de poesia, um momento "Florbela" que sei, és fã tbm...
Bjs

andrye disse...

Lindo poema..triste mas lindo.. e temos de encarar a verdade p vezes nua e crua.. quando n ha lugar pa nós mais vale sair mesmo definitivamente.. Como me disseram: "a verdade é como uma manta q nos deixa sempre os pés frios.." beijo grande.

Blue Woman disse...

como consegue quase diariamente escrever palavras tão belas?

bjos!

paperl life disse...

Muito bonito, Conchinha. Como tu!

:) Bjs.

UnaRagazza disse...

Belo poema! Há amores (se é q lhe podemos chamar assim) q são antecipados por uma grande ilusão e expectativa e acabam por passar sem deixarem marca... Como é q é possível? Se calhar pq nunca chegou a ser Amor...

isa xana disse...

belo o poema, belo.. porém, triste... um amor que reinou somente na ilusão... um amor que não foi amor porque não aconteceu

**

Anónimo disse...

E a pouco e pouco, o meu deixou de te reconhecer.
Partilhas

Gil disse...

blue: táw-me a "obrigar" a vir cá muitas vezes... caramba!! :)

tou a adorar cada vez mais :D

beijitos ;)

Devilred disse...

Este poema está simplesmente belo, estou também sem palavras para o comentar, tu és o máximo, espero que esteja tudo bem contigo.
beijinhos

pipetobacco disse...

{ ...

trechos.[1]
vivo de rasgos e fragmentos de papel
pergaminhos de sentidos escritos
esperando restauros, dar; do tempo
anseio decerto e (1)breves, tento
valores de renovação e (2)entro
(…)

© temporal

... }

Ofeliazinha disse...

Lindo. Fez-me lembrar Fernando Pessoa.

Cakau disse...

Eu adoro o que escreves. Tens uma sensibilidade maravilhosa... É raro não sentir alguma coisa quando leio o que escreves.

Um beijo grande :) *

Daniel Aladiah disse...

Querida Blue Shell
Não te apouques... todas as vidas têm grande significado e a tua deve ser muito importante para muita gente. Porque nos colocas sempre um pouco do teu coração nas mãos, garanto-te que o acarinhamos como se fosse nosso.
Um beijo
Daniel

Ruvasa disse...

Viva, BShell!

Somos tantos a escrever, que acabamos a repetirmo-nos.

Gostei muito. Continuo, aliás, visitador frequente.

Até sempre.

Ruben

mylostwords disse...

Triste, sim - como alguém disse antes.
Mas sem dúvida uma verdade. E por vezes não há lugar no mundo para ninguém, temos de construir um só nosso.

Lindas photos, BShell.
Mesmo.

**

Armando S. Sousa disse...

As fotografias estão muito bonitas.
O poema é muito triste.
Um abraço.

H. disse...

Lindo poema, tristes sentimentos...
A vida é um livro co mtas páginas... não o feches nem deixes de escrever... e terás um final feliz à tua espera *

AS disse...

É o cavalo do tempo a galopar...
Ninguém pode detê-lo
Vê-lo,
É ver e sonhar,
Um relâmpago a rasgar
o céu de um pesadelo
(...)
Largou do prado onde pastava ausente,
E corre, corre, em direcção ao nada,
Única direcção que a fúria lhe consente

B.Shell, o teu poema é mais uma página de um livro que ainda não está escrito, onde cada palavra galopa dentro de ti... sem tempo!


UM beijo grande

Lua disse...

BlueShell, só tu tens o privilégio de eleger o lugar que te cabe no mundo. Esse, que tu alias já ocupas, é indelével e ninguém o poderá retirar.
Beijinhos.

rajodoas disse...

Amiga, esse caminho anda muito sinuoso.
Vai visitar-me para levantares essa moral, tenho lá um post, elogiando-vos. Mas atenção não tem outro objectivo que não seja o de reconhecer a realidade. Segue em frente. Um beijinho
do Raul

serpa disse...

muito bonito, gostei.

walleska disse...

Amei tanto esse poema vc poderia de permitir copiar.beijos

Cris disse...

Há livros q nos parecem em branco... à espera de serem escritos a quatro mãos... mas depois, qd menos esperamos, percebemos q as páginas já estavam escritas e q a história n era a nossa...

Por vezes a narrativa é aberta e, sem darmos por isso, acabamos por escrever o parágrafo final...

beijinho doce

BlueShell disse...

Cris...tens toda a razão...Nós somos quem escreve o parágrafo final....
BShell

Vasco Salles disse...

Perco-me na maravilha dos teus poemas, parecem mais bonitos cada dia que passa, faltam-me as palavras para dar expressão ao que sinto quando aqui venho, e depois aquela estranha sensação de conhecer os lugares, será por causa das palavras que os rodeiam?
És uma grande poetisa, basta olhar para os comms. Fora aqueles que quase nunca falam, como eu...
Parabéns Blue.

O Micróbio disse...

Não somos nada e por vezes ainda menos que "nada"...

Anónimo disse...

Vestir-se e despir-se “das páginas” d’um livro... e constatar que “não resta senão a memória/ da efémera ilusão/ de um amor sem história...”// Imagens fortes, belas. Na minha releitura, contudo, esse amor faz parte da história, a tua; e após beber do teu versejar, esse amor, ou a lembrança dele, agora faz parte da história, a minha... e de todos aqueles que tiveram a ventura de te ler... Isso, pra não mencionar, que o livro (da vida, a tua) continua aberto, e em cujas páginas, podes escrever o que quiseres. ## Um abraço fraterno.## batista filho

António disse...

Com poemas assim, qualquer dia até começam a chorar as pedras da calçada...eh eh
Muito lindo!
Mas o que mais aprecio é o teu estilo e a tua coerência estilística.
Jinhos

Joaninha disse...

sempre que por aki passo fixo vislumbrada com a qualidade de fotos e tb com as tuas doces palavras...

Lindo mesmo...

A musica esse é fantástica.

Beijinhos*****

AlmaAzul disse...

...que se feche também o livro...

Muito sentido.

***azuis

augustoM disse...

Shell, pelo que li bateste à porta errada.
Um beijo Augusto

miss devil disse...

oi!
como sempre vindo de ti so podiam vir essas belas palavras
jinhos

Anjo Do Sol disse...

Blue, de cada vez que leio algo assim como este teu poema, penso sempre que um adeus, uma desilusão, significa sempre o renascer, o reerguer, o enfrentar e continuar.
:)
Quanta emoção e belaz nas palavras que fui lendo. :)
Quanto às fotografias, estás cada vez melhor, vão aumentando de qualidade de dia para dia. :)

ps: desculpa não vir com a frequência que gostaria, mas infelizmente, não consigo fazer esticar o meu tempo. :( Gostava de voltar a ter o tempo que antigamente tinha para deambular um pouco mais por aqui. :)
Bjitos

Angela disse...

Que belas palavras, com belas ramagens. :)

folhasdemim disse...

Que bonito amiga :) lembrei-me do nome do meu blog enquanto te lia. São as folhas da nossa estória. Lindas as fotos. Beijinhos grandes, Betty

lique disse...

Podes ter-te despido dessas páginas, mas não serás nunca "Nada". Todos somos alguma coisa e, se tomamos consciência de que um amor afinal nem chegou a ser, temos que acreditar que outro existirá. Beijinho, Blueshell

agua_quente disse...

As fotos são lindas. O poema, quero acreditar que, embora feito de belas palavras, não corresponde totalmente ao que sentes. Não podes diminuir-te dessa forma. Beijos, linda.

Amaral disse...

Tens imagens lindíssimas e, por isso, continuo a dizer-te que nunca poderia concordar com alguns versos do teu poema. Tu nunca poderias, conscientemente, perceber a tua "pequenez" porque "não és pequena" (a não ser se fores baixinha… e mesmo assim não vejo mal, pelo contrário, as pequeninas são a mais apreciadas...). Como podes dizer que "o Nada que sou"? Só em sentido figurado, ou não?...

Aran disse...

Doce e linda como és, serás sempre alguém... e só serás nada para quem não te "vê"... e não sabe te dar valor... Gostei muito, beijinhos [http://capricornioemim.blogs.sapo.pt ]