quarta-feira, dezembro 22, 2004

LONGE DE MIM...PERTO DA DOR!

Ouves as minhas lágrimas? Vês as minhas chagas abertas lá no fundo do meu peito?
Foram palavras e arrogância que me feriram, que fizeram murchar a flor do meu sorriso.

noescuro

(foto de Mário Pereira)

Foram palavras ditas com desprezo, palavras da cor do mar quando, nas ondas, engole o náufrago! E me senti assim, longe de quem sou, longe de mim...
Ouves as minhas lágrimas?

12 comentários:

mfc disse...

Todos dizemos essas palavras num momento ou noutro.
Mas depois também somos capazes de um "Anda... vamos lá!"

Seila disse...

oh! como esta foto me toca num fundo de mim que de tão fundo me envolve toda! o acaso (será?! não acredito senão nos sinais!) trouxe-me aqui logo numa manhã em que o meu fundo dele grita muito! Um beijo grande, Blue!

zeus disse...

Um Feliz Natal para ti e para os teu minha cara amiga!

Toze disse...

Que tenhas O melhor dos Natais ! Beijo!

Finurias

sotavento disse...

Palavras como pedras, depois que atiradas, não voltam para trás!... Lágrimas lavam-nos das palavras más e abrem caminho para as boas!... :)

SalsolaKali disse...

Mesmo na pior tempestade, durante o pior naufrágio, de ondas encrespadas e ventos ciclónicos, outros barcos vagueiam e furam a fúria do mar, barcos para onde poderás subir antes da exaustão. E se isso não for suficiente, a margem está algures.
As marcas crivadas no corpo pelas palavras, as que hão-de sarar em cicatrizes profundas, já ninguém as poderá apagar por completo, mas a dor poderá desaparecer.
Ouvimos as tuas lágrimas nas ásperas palavras que saem das tuas mãos, e compreendemos…

Anónimo disse...

Por vezes ninguém sente as nossas lágrimas, ninguém as vê, ninguém as ouve...

Tomei a liberdade de te acrescentar nos meus links, espero que nao te importes.
Beijos.

Eliwitch (www.livrodemagoas.blogdrive.com)

mfc disse...

Um grande Natal na companhia de todos e obrigado por tudo.
Para a semana cá nos encontramos.

wind disse...

Grande foto!bjs

Anónimo disse...

Julgo que nunca devemos perder a consciência do Outro e daquilo que ele também possa sentir. É importante, pelo menos, esforçarmo-nos nesse sentido. Eventualmente se assim for, as lágrimas serão menos e as cicatrizes menos doridas ou doridas mais "serenamente", num marcar da Alma e da Pele menos vincado. Menos negativamente vincado.

Beijinho,

Sandra
(http://www.void.weblog.com.pt)

Cacau disse...

Lindo :)

beijo

Anónimo disse...

pega lá um lenço de papel, rapaz.