sexta-feira, dezembro 24, 2004

SE...


tualuz

(foto de Alvimar Rodrigues)

...não se ouvisse chorar
por esses casebres fora...
Se não se soubesse que há
dor
na espera e na demora
de alguém que não virá
para confortar quem chora...

Se eu pudesse assegurar
sem presunção nem vaidade
que Cristo, o Redentor,
a todos há-de trazer
mais que a felicidade...
a Vida...

E se tu pudesses crer
(oh, qual verdade perdida!...)
que já não se ouve chorar
por esses caminhos fora...
eu diria, de contente, que o
Natal era...
AGORA!


18 comentários:

LetrasAoAcaso disse...

"Esta noite sonhei oferecer-te o anel de Saturno. E quase ia morrendo com o receio de que ele não te coubesse no dedo".


Farei tudo para te dar a lua.
O Meu Mundo encantado.
O meu País dos sonhos.
"Existem dois Mundos. O real e o dos sonhos. Só o dos sonhos, é verdadeiro"
Vem. Dá-me a tua mão.
Fecha os olhos.
E vamos andar num tapete mágico, que nos levará ao país dos sonhos.

Poemas de Deus e do Diabo


Vamos calcorrear as montanhas.
Andar descalços, à noite na areia molhada da praia.
:
...ouvir o rugir do mar.
Ver o prateado da sua cor.
Iluminado por luas douradas, imensas, belas.
E fazer amor, com as ondas por perto.
Olhando estrelas.
...nuvens de feitios bizarros.
Belas.
Ouvindo um som longínquo de viola.
Corpos nus.
Em estranhas coreografias.
Vem...
Perde-te
Podes perder-te e encontra-te em mim.
Apenas tens de vir.

Anónimo disse...

uma bela mensagem de natal. aproveito para desejar um belíssimo natal e um 2005 cheio de felicidade. grande abraço. Carlos(www.basilides.blogger.com.br)

A.Mello-Alter disse...

Bom Natal, Blue Shell
http://cronicadoplanalto.blogspot.com

rajodoas disse...

Para si votos de um excelente Natal na companhia dos seus. Com um abraço do Raul

OrCa disse...

Por graça, com leite-creme e rabanadas, depois do bacalhau cozido, o meu presente de Natal:

POEMINHO

Neste Natal
Afinal
Vou embrulhar o poema
Numa folha de jornal
Vou deixá-lo assim quentinho
Entre passas e azevinho
Regá-lo com um bom vinho
E chamar-lhe poeminho

Decerto que assim tratado
Ficará mais animado
Quem sabe?...
Mais redondinho

Só então o lançarei
Aos quatro ventos da sorte
Para que não perca o Norte
Nem se engane no caminho

Ao bater à tua porta
Recebe-o com carinho
De mim ele leva um abraço
E o papel de jornal
É só p’ra ficar quentinho

Porque afinal
É Natal
E ele é só um poeminho.

- Jorge Castro
Dezembro de 2004

Anónimo disse...

UM FELIZ NATAL!

Que corra tudo bem, junto dos teus amigos, familiares, cão , gato , periquito...

Faz o favor de ser feliz!

Beijo enresinado
cachucho
http://enresinados.weblog.com.pt

ognid disse...

Conchinha, um Feliz Natal para ti. Beijos.

polittikus disse...

Que o Natal te dê tudo o que desejas... Feliz Natal.

Magda disse...

Votos de um Feliz Natal

wind disse...

Nós é que temos de fazer o Natal durante o ano...Boas Festas com paz, saúde e o que daí advém:) bjs

Anónimo disse...

Mais um lindo poema.. Nada de novo :)
Ja pensaste em divulgar mais este teu sitio? Pensa nisso. Um bejio, Sandro. www.SESCblog.pt.vu

Peter disse...

Belo poema e explendida imagem. Posso "roubá-los"? Entraste para a "Galeria dos Notáveis", é a nossa prenda de Natal: estás nos links do "conversas"! :-))*

Anónimo disse...

Adiciona o meu endereço de msn que esta no meu blog se quiseres falar disso. Há muitas maneiras de dares a conhecer o teu blog, e eu acho que tem muita qualidade e deve ser visto por mais gente. Beijo, Sandro.
www.sescblog.pt.vu

Toze disse...

Bela Concha... um belo Natal :)

Finurias

Seila disse...

Oh! Blue !!! que grande VERDADE!!! um beijinho!

AnaP disse...

Um Feliz Natal para ti, Blue! Um beijinho*

Araponga disse...

Que o Natal te traga tudo de bom, amor, paz, alegria... Um natal muito feliz para ti!

SalsolaKali disse...

Seca essas lágrimas.
Apesar de não ser muito crente, sempre entendi que Deus é apenas e só o Amor e Cristo um dos grandes poetas que o anunciou e o viveu intensamente, e assim se tornou tão popular. As pessoas já não conseguiam deixar de falar numa forma tão apaixonada e simples de viver.
É uma visão simplista, sei. Mas não preciso de mais nada para acreditar.
E não é necessário quase mais nada para que eu seja feliz e Viva com gosto e com paixão. E tu?
Sobre um suposto sujeito desse teu amor, lembra-te que não há apenas um, apenas aquele, há muitos sujeitos por esse caminho fora. Um amor ou é correspondido ou não é, passando a dor. E a dor é não vida.
Bom, esta é pelo menos a minha verdade.
Fica bem e obrigada pelas visitas.